fbpx

A contabilidade e o comércio varejista 

A contabilidade no varejo é muito diferente, pois esse segmento apresenta muitas variáveis de atender indústrias ou prestadores de serviços. Existe uma grande variedade de produtos, tributações e um controle que deve ser realizado minuciosamente para não diminuir a lucratividade do empreendedor.

Muitos empresários acreditam que a contabilidade é luxo que mantendo no controle as compras e as vendas, tudo se resolve.

Na realidade, a contabilidade é uma necessidade para todo e qualquer empreendimento. Assim sendo, no comércio varejista não é diferente.

A contabilidade no varejo

O comércio varejista faz a compra do produto em seu estado final, o armazena e revende ao consumidor. Parece ser simples, mas essa atividade necessita de uma boa administração empresarial, de negociação e análise da tributação de cada um dos itens que são revendidos.

No comércio varejista, cada ramo tem as suas características. A contabilidade no varejo deve ter muita atenção com cada segmento atendido.

Como exemplo, podemos citar os produtos que são comercializados em uma padaria e aqueles que são comercializados em uma loja de armarinhos.

 Escritório de contabilidade por nicho de atuação:

Um escritório de contabilidade por nicho de atuação  deve se especializar em um nicho de atuação para compreender as variáveis que um segmento pode ter e avaliar se manterá o escritório atualizado com a área de atuação, para então começar atender outros segmentos.

Se um escritório contábil atende apenas prestadores de serviços e tem a intenção de iniciar o atendimento de empresas do varejo, aconselha-se conhecer a área de atuação para, em seguida, apresentar um serviço mais abrangente.

As drogarias, por exemplo, além do estoque de medicamentos, é preciso se preparar para o atendimento também à demanda da conveniência e itens de higiene pessoal.

A tributação das empresas do varejo

É de fundamental importância estar sempre em atualização referente à legislação, pois a todo o momento novas leis e regras são implantadas e atrasar na atualização pode gerar despesas para o cliente.

Recomenda-se ter um plano de ação para realizar alterações. O ideal é ter um sistema em que seja fácil a atualização das regras tributárias dos produtos.

Assine newsletters de atualização semanal ou diária, com o intuito de conhecer as alterações nos segmentos de atuação do seu cliente.

Com certeza, com essas recomendações será muito mais fácil prestar um bom atendimento ao seu cliente do varejo.

O cálculo do custo

O cálculo do custo realizado de forma correta é um fator essencial. Diversos escritórios erram nesse ponto, pois não consideram o custo de armazenagem e o custo de distribuição no valor do produto.

Custo de armazenagem

O cálculo do custo da armazenagem mostrará o valor que cada produto deverá consumir no seu custo.

Para calcular o custo de armazenagem, é possível considerar a área e o tempo utilizado na armazenagem do produto.

É importante manter um controle muito bom do estoque, considerando que enorme quantidade de material em estoque será responsável por altos custos de armazenagem, o que poderá causar comprometimento à margem de lucro.

Custos de distribuição

No varejo, alguns segmentos incluem o frete grátis na entrega dos produtos e isso implica em custos que não devem ser desconsiderados na elaboração do preço. A contabilidade no varejo deve ficar alerta ao calcular essa variável.

Como exemplos, as lojas de móveis, eletrodomésticos ou eletroeletrônicos em que a entrega pode ser feita terceirizada ou com frota própria.

Nesse caso, é necessário considerar o valor gasto com a distribuição e a forma de rateio dos custos. É uma preocupação tão importante quanto a própria venda, pois reflete diretamente na margem de lucro.

O indispensável software de gestão

A contabilidade no varejo é circundada por uma série de informações e análises que necessitam ser acessadas de uma base de dados de confiança. É importante empregar um método de gestão que atenda a toda essa demanda.

O Planejamento das compras

No comércio varejista há especificidades que devem ser extremamente verificadas no estoque: os itens perecíveis e o exagero de produtos armazenados ou a falta deles.

Se não existir um planejamento das compras, poderá ocorrer um gasto de dinheiro de maneira indevida, tanto com o descarte de itens perecíveis, custo de armazenagem. Pior ainda, a falta do produto para atender aos clientes.

Por essas razões, a contabilidade no comércio a varejo também deve considerar para o controle de estoque, com a finalidade de que as compras sejam realizadas de forma planejada. Por isso, é fundamental o uso de um método de gestão que faça esse controle.

Recomenda-se, também, que deve haver um planejamento financeiro, que pode ser realizado com a ajuda do fluxo de caixa.

O controle do caixa

Ao mencionar o fluxo de caixa, o controle do dinheiro do comércio varejista é um enorme desafio em meio a uma entrada tão grande de dinheiro que pode ocorrer em diversos segmentos, como especialmente em se tratando dos hipermercados.

É sabido que o empreendedor não faz o controle das pequenas saídas de caixa e do fluxo em dinheiro, mas é de extrema importância preservar um controle eficaz para que o planejamento financeiro seja feito de forma correta e eficiente.

É nessas horas que é essencial usar um método de gestão que proporcione o lançamento de entradas e saídas de pequenas quantidades em dinheiro.

Muitos tipos de comércio necessitam de controles paralelos, que supervisionem tanto o dinheiro quanto o estoque, como é o caso dos hipermercados e estabelecimentos de materiais de construção, que são possuidores de um grande volume de informações. Esses são casos que é necessário contar com dois sistemas de suporte: um software comercial e o sistema de gestão empresarial.